Você está aqui: Página Inicial > central de conteúdos > Notícias > 2017 > 12 Dezembro > Belém/PA recebe Curso de Mediador Pacificador Social

Notícias

Belém/PA recebe Curso de Mediador Pacificador Social

por publicado: 20/12/2017 17h58 última modificação: 21/12/2017 16h35

Realizada em Belém/PA, na última sexta-feira, dia 15 de dezembro de 2017, a 11ª edição do Curso de Mediador Pacificador Social teve a participação de 217 pessoas, entre agentes de segurança, representantes de organizações não governamentais e gestores públicos. Implementado pela Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - SEPPIR, do Ministério dos Direitos Humanos - MDH, em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública - MJSP, o Curso integra o Plano Nacional de Segurança Pública, do Governo Federal.

Entre as autoridades presentes, o Secretário Adjunto de Operações da Secretaria de Segurança Pública – SEGUP, Coronel André Cunha, a Coordenadora da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos – SEJUDH, Ana Paula Frias, Rosimeire Nogueira, da Secretaria de Educação do Estado do Pará, o representante do Conselho de Segurança Pública, Pastor Orlandino, a Diretora de Prevenção da Violência e Criminalidade da Secretaria de Segurança Pública DIPREV/SEGUP, Delegada Silvia Andrea, e a representante do Movimento LGBT, Lana Larrá.

Na ocasião, foram abordados temas como prevenção de conflitos comunitários com recorte racial; Estado e sociedade; famílias no século XXI; violência doméstica com abordagem racial; prevenção de homicídio; e crimes contra o patrimônio, a vida, a família e a paz pública. Complementam a lista de itens, a importância da mediação social; técnicas de abordagens; a figura do mediador; mediação de conflitos e a lei; mediador de bullying nas instituições de ensino; e mediador pacificador social e sua legislação.

Plano Nacional

As atividades são referentes ao Plano Nacional de Segurança Pública, lançado pelo Governo Federal no início deste ano. Entre os pontos principais do projeto, estão a modernização do sistema penitenciário e o combate integrado às organizações criminosas. Também figuram como prioridades a redução do feminicídio e violência contra a mulher, a diminuição de homicídios dolosos e o combate integrado ao tráfico de drogas e armas.