Você está aqui: Página Inicial > central de conteúdos > Notícias > 2017 > 03 Março > Sistema de cotas é tema de encontro entre SEPPIR e instituições de Ensino Superior do Mato Grosso do Sul

Notícias

Sistema de cotas é tema de encontro entre SEPPIR e instituições de Ensino Superior do Mato Grosso do Sul

por publicado: 17/03/2017 18h37 última modificação: 17/03/2017 19h03

O sistema de verificação para o ingresso nas universidades federais e concursos públicos através do sistema de cotas foi o principal assunto de reunião realizada nesta terça-feira (14/03), entre o Secretário Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Juvenal Araújo, e a Vice-Reitora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS, Camila Ítalo. Também participaram a Pró-Reitora de Assuntos Estudantis da UFMS, Ana Rita Barbieri, e o Reitor do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul – IFMS, Luiz Simão Staszczak.

Na ocasião, a Vice-Reitora entregou o relatório de monitoramento das cotas destinadas aos ingressantes de vestibular e concurso público. Segundo a universidade, desde a adoção das ações afirmativas, em 2012, 2.027 estudantes ingressaram pelo sistema.

Durante o evento, os representantes das instituições de ensino abordaram as experiências e dificuldades encontradas na implementação do sistema de verificação de cotas, que não contém critérios de aferição.

O Secretário Juvenal expressou que a maior preocupação da SEPPIR, em termos nacionais, diz respeito aos mecanismos para evitar fraudes no sistema. A fim de enfrentar esse problema, o representante da Secretaria aponta a necessidade de criar um mecanismo adequado de verificação. Para o gestor federal, as falsificações também aumentam a desigualdade e o preconceito.

“O motivo da nossa visita aqui é para que nós possamos, além de receber o relatório de monitoramento do sistema de vagas, conhecer também a banca de verificação. Infelizmente, ainda por causa do número grande de fraudes, é necessário estabelecer um mecanismo. Devido à nossa parceria com a Universidade, queremos também realizar um trabalho de conscientização sobre a importância dessa política”, explicou Juvenal.

*Com a colaboração da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul